Imprimir
PDF

SASP promove sessão do filme "Auto de Resistência", uma reflexão sobre a violência policial

WhatsApp Image 2019-06-03 at 17.17.05No dia 31 de maio foi apresentado no SASP - Sindicato dos Advogados, o filme AUTO DE RESISTÊNCIA - Documentário (2018) dirigido por Natasha Neri e Lula Carvalho.


Após o filme houve uma mesa de debates e reflexão sobre a letalidade da polícia e seus efeitos na população negra.

O debate contou com a participação de Juliana Farias, antropóloga, que assina em coautoria com Natasha Neri o roteiro de Auto de Resistência, e atualmente é pesquisadora de pós-doutorado no Núcleo de Estudos de Gênero Pagu/Unicamp; Sinvaldo José Firmo, Advogado e membro da direção do SASP; Carlos Eduardo Mendes, Psicólogo; Eduardo Dias, Promotor de Justiça e professor de Direitos Humanos na PUC-SP; Carmem Dória, advogada; e representantes da entidade da sociedade civil "Mães de Maio", integrada por parentes e amigos de vítimas da violência policial, além de diretores e do presidente do SASP, Fábio Gaspar.

O evento foi promovido na sede do SASP, com organização do Clã da Negritude, Jornal Empoderado e Associação Nacional da Advocacia Negra (ANAN).

Para Fábio Gaspar, presidente do SASP, "foi uma grande honra promover esse evento, emocionante e ao mesmo tempo triste, pois o filme Auto de Resistência retrata uma dura realidade e deixa claro que no Brasil existe um genocídio contra a juventude negra, e todas as instituições democráticas, como o nosso Sindicato, têm que fazer essa reflexão e somar forças na luta contra o racismo e a violência policial".

SASP NEGRITUDE 3

Carmen Dória destacou que vivemos 131 anos de uma abolição inacabada. Para ela, o filme é importante para que as vozes das vítimas não sejam caladas, pois "o que fortalece o agressor é o silêncio".

O Promotor Eduardo Dias, que convive diariamente com processos envolvendo casos de violência institucional, "a melhor defesa das prerrogativas do advogado é conhecer a lei". Destacou que boa parte das mulheres detidas no sistema prisional são negras, assim como jovens na FEBEM (atual Fundação CASA), sendo urgentes e necessárias reflexões como a do filme.

Para saber mais sobre o filme, ou solicitar exibições gratuitas, acessar o site:
www.autoderesistencia.com.br.

SASP NEGRITUDE 1

(Comunicação SASP)

advogados sindicalizados

expressao popular uneafro grito dos excluidos assembleia popular