Imprimir
PDF

SASP participa de Ato Público contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária

Um Ato público realizado no salão nobre da Faculdade de Direito da USP, na segunda-feira, 24 de abril, reuniu juristas, sindicalistas e lideranças paulistas contra as reformas trabalhista e da previdência impostas pelo governo Temer.

Assis Sasp 02

O ato foi promovido pelo FIDS - Fórum Interinstitucional em Defesa do Direito do Trabalho e da Previdência Social, com participação da ABRAT - Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas, SASP - Sindicato dos Advogados, Sindicato dos Bancários, Anatel, Instituto de Advogados Previdenciaristas, Comissão de Direito Sindical da OAB, SindAlesp, CTB, Sindicato dos Auditores Fiscais, Associação Nacional de Procuradores do Trabalho, entre outros sindicatos e entidades de defesa dos trabalhadores.

 

O ato reuniu ainda Juízes, Promotores e Estudantes no Largo São Francisco, para articular ações contra as Reformas. Pelo SASP, participaram do evento, Aldimar Assis, presidente, e Leocir Costa, Fábio Gaspar, Marcus Seixas, Gabriel e Manoel, entre outros. A maioria dos oradores falou sobre o grande retrocesso que as reformas representam, notadamente em relação ao substitutivo apresentado na quinta-feira, 20 de abril, que altera cerca de 200 dispositivos da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

 

O presidente do SASP, Aldimar Assis ressaltou a necessidade de que todas as entidades e sindicatos realizem atos públicos e emitam notas contra as reformas. Para ele, os projetos do governo Temer são um grande retrocesso contra os trabalhadores e a democracia. Durante a manifestação foi reforçada a necessidade de apoio total à Greve Geral de trabalhadores que ocorrerá na sexta-feira, 28 de abril, e informado que diversos Tribunais Regionais do Trabalho em todo o País paralisarão suas atividades nesta data, entre os quais os TRTs da Bahia e do Rio Grande do Norte, lembrando que o relator da Reforma Trabalhista que praticamente destrói a CLT é o deputado Rogério Marinho, do PSDB-RN.

 

Durante o ato o vice-presidente do SASP, Fábio Gaspar repassou a informação de que a bancada nacional do PSB fechou questão contra as reformas trabalhista e da Previdência, juntando-se a outros partidos contrários às reformas, entre os quais PT, PCdoB, PSOL, REDE.

 

*Assessoria Sasp

advogados sindicalizados

expressao popular uneafro grito dos excluidos assembleia popular