Imprimir
PDF

Manifesto assinado no Fórum Social Mundial, em Salvador-BA, conclama a Unidade na reconstrução do País

Manifesto Foto01O SASP – Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo participou do Fórum Social Mundial, encerrado em Salvador no dia 17 de março, por meio de seus diretores, Marcus Seixas e Leocir Costa Rosa. Durante o evento, foi aprovado, em reunião realizada no Auditório da Reitoria, no IFBA – Instituto Federal de Educação da Bahia, o Manifesto “UNIDADE PARA RECONSTRUIR O BRASIL” (ver a íntegra no link abaixo), encabeçado pelas Fundações Maurício Grabois (PCdoB), Perseu Abramo (PT), Lauro Campos (PSOL), e Leonel Brizola/Alberto Pasqualini (PDT). Os representantes do SASP participaram ainda de várias atividades do FSM, entre as quais a “Assembleia da Democracia”, no Estádio Pituaçu, onde esteve também o presidente Lula.

 

Homenagem a Marielle


O evento também prestou uma homenagem a Marielle Franco, vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, assassinada na última quarta-feira (14/03), junto com o motorista Anderson Pedro Gomes. Os participantes do encontro fizeram um minuto de silêncio em memória dos mortos, e condenaram a onda fascista que assola o país.

Unidade e luta por um novo Projeto Nacional
O Manifesto tem como eixo central a unidade dos movimentos sociais e da esquerda, no enfrentamento da agenda conservadora que assolou o país a partir de 2016. O eixo temático gira em torno de um novo projeto nacional de desenvolvimento, explicitado no documento.

O Manifesto explica que “em crise há 10 anos, o capitalismo hegemonizado pela grande finança busca pretensas saídas. Por um lado, recrudesce o neoliberalismo, com a chamada política de austeridade, que corta direitos, liquida com o Estado de Bem-Estar Social, mutila a democracia e assegura os ganhos parasitários e astronômicos ao rentismo. Por outro, vai impondo uma nova ordem neocolonial através da qual açambarca a riqueza das nações e impõe amarras e políticas que negam o direito dos países da periferia e semiperiferia do centro capitalista de se desenvolverem autonomamente”.

Manifesto Foto02

Para os signatários, “o governo politicamente ilegítimo de Michel Temer tem atuado, em essência, para subordinar o país integralmente a essa lógica imposta pelas grandes potências”.

Para os representantes das Fundações ligadas aos Movimentos Sociais e aos partidos de esquerda, “dois grandes fatores que determinam a necessidade de as forças populares e progressistas elaborarem um novo projeto nacional. Primeiro: vigorosamente repelir a tentativa das grandes potências capitalistas de subordinarem o nosso país aos ditames de uma ordem neocolonial. Segundo: livrar o Brasil desse regime ultraliberal, autoritário, contra o povo e contra a Nação, que vem sendo imposto pelo governo Temer e pelos partidos conservadores e as grandes forças econômicas internas e externas que lhe dão apoio”.

 

Leia a íntegra do MANIFESTO “UNIDADE PARA RECONSTRUIR O BRASIL”:
http://www.grabois.org.br/conheca-a-fundacao/documentos/154152/2018-02-16/leia-o-texto-integral-do-manifesto-unidade-para-reconstruir-o-brasil

 

(Comunicação SASP, com Fundações)

advogados sindicalizados

expressao popular uneafro grito dos excluidos assembleia popular