Na última quinta-feira, 11, o Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo promoveu o Prêmio João José Sady de Direitos Humanos. 

O propósito do evento era homenagear pessoas que dedicaram as suas vidas para trabalhar em defesa dos Direitos Humanos auxiliando as pessoas em situação de vulnerabilidade que são esquecidas diariamente pela sociedade e pelo Estado. 

Os advogados e diretores do SASP, Gabriela Araújo e Pedro Martinez, conduziram, remotamente, a apresentação do evento que tinha como honrados a deputada federal Luiza Erundina, o advogado Sinvaldo José Firmo, o padre Júlio Lancellotti e em memória do ex-deputado José Mentor. 

Os apresentadores, Gabriela e Pedro, iniciaram a live que preliminarmente homenageou o advogado e ex-presidente do Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo, João José Sady, cujo o seu legado na entidade, assim como na advocacia, era o de fazer Justiça e levar aos Tribunais os fatos sociais que eram arbitrários. 

Sempre a serviço da advocacia, Sady utilizou sua sabedoria para escrever livros jurídicos e dedicou-se, sobretudo, à transformação da sociedade brasileira. 

Em palavras, o atual presidente do SASP, Fabio Roberto Gaspar, destacou a importância do prêmio e a razão pela qual o Sindicato se propôs a nomeá-lo como João José Sady. 

“Esse prêmio pertence a todas colaboradoras e colaboradores do nosso SASP. Parabenizo também os grandes homenageados e homenageadas desta noite, que são nossas referências na defesa dos Direitos Humanos e do povo brasileiro…Por que Prêmio João José Sady? Pra mim foi um dos advogados mais comprometidos que conheci, que atuava incansavelmente em defesa da Justiça e em especial dos trabalhadores. Tinha inteligência enorme e foi um dos intelectuais mais completos que 

conheci”. 

Gaspar também destacou a relevância de João José Sady na Comissão de Direitos Humanos da OAB-S por ter colocado pautas importantes como a defesa dos direitos sociais e a defesa das vítimas da violência policial e também os policiais que também eram negligenciados. 

Em seguida, o vice-presidente da seção de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil, Ricardo Toledo Santos Filho, e o advogado e ex-presidente do SASP, Ricardo Gebrim, fizeram o uso da palavra. 

Após a condecoração, a filha de Sady, Isabela, agradeceu ao Sindicato pela consideração que possuem com seu pai que estaria completando 72 anos nesta data. 

Seguidamente Júlia e César animaram a live com canções de músicas brasileiras que estavam em harmonia com a ocasião. 

A celebração continuou com a homenagem feita ao padre Júlio Lancellotti que se dedica à cauda dos moradores de rua. Foi apresentado o vídeo do momento em que o padre recebeu a placa do Sindicato durante um culto religioso que aconteceu no último domingo, 07, em sua paróquia na zona leste da capital paulista. 

O advogado e parceiro do SASP, Arnóbio Rocha, condecorou o padre Júlio Lancellotti em nome da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP. 

“O padre Júlio tem essa capacidade de comunicação e emoção pra toda uma cidade tão desumana. Pra mim é uma honra muito grande porque se a gente vai pra rua (a Comissão de Direitos Humanos), uma grande inspiração é o Padre Júlio; que sempre esteve na rua, sempre enfrentou as situações mais adversas e no fundo nos inspera”. 

A deputada federal Luiza Erundina também foi homenageada por estar sempre ao lado do povo. Nascida no sertão da Paraíba, Erundina mudou-se para a capital paulista, onde foi prefeita e dedicou a sua causa à luta de moradias populares, para tornar a cidade mais humana. Sua gestão é tida até os dias atuais como um marco histórico. 

Desde então não abandonou as causas sociais e atualmente é deputada federal pelo PSOL de São Paulo. 

A advogada e conselheira do SASP, Luzia Cantal, releu um texto de autoria da homenageada sobre sua trajetória. As palavras mencionadas emocionaram a todos que assistiram e participaram da live. 

Em vídeo o advogado criminalista Antônio Cláudio Mariz de Oliveira fez uma saudação a Luiza Erundina e 

“Ela veio pra São Paulo, para dar lição a nós paulistas. Deu lição de civilidade, deu lição de cidadania, deu lição de  honestidade, e especialmente de amor a coisa boa.”

O próximo homenageado foi o conselheiro do SASP, o advogado Sinvaldo José Firmo que luta em prol da advocacia negra no Brasil e da dignidade humana e dos direitos humanos.  A Diretora de Formação do Sindicato e membro da CDH OAB/SP, Ana Lúcia Marchiori, conduziu as palavras de agradecimento. 

“A advocacia negra requer muito mais do que isso. Requer desbravar o mundo que foi colocado para os brancos e as brancas para ocupar esse espaço. Você ocupou esse espaço e abriu as portas para mim e para centenas e milhares de advogados e advogadas negras do estado de São Paulo”. 

Em seguida a advogada Gabriela Araújo que estava apresentando a live leu uma mensagem de Milton Barbosa do Movimento Negro Unificado. 

Saudamos a homenagem a Sinvaldo José Firmo, advogado  com longa trajetória de combate ao racismo e todas as formas de discriminação, parceiro do movimento negro na sua atuação.

Precursor junto com a saudosa Dra. Maria da Penha Lopes Guimarães na Sub Comissão do Negro da OAB nas ações pelos direitos da população negra e também pelo reconhecimento de advogadas e advogados negros. Esteve a frente do primeiro caso de condenação do Brasil por racismo na Corte Interamericana. A entrega do Prêmio João José Sady  de Direitos Humanos é uma láurea mais do que merecida a Sinvaldo José Firmo.

Saudações ao Sindicato dos Advogados de São Paulo pelo reconhecimento do trabalho destas pessoas tão caras ao nosso  estado como Padre Júlio Lancelotti,  Luiza Erundina e nosso amigo Sinvaldo José Firmo.

Milton Barbosa – MNU Movimento Negro Unificado 

Por fim, o ex-deputado José Mentor foi homenageado por sua luta pela democracia durante os tempos da ditadura e até o ano de 2020, quando faleceu em decorrência de um infarto seguido de Covid-19. 

O advogado e membro do Sindicato, Eduardo Pizza, leu para os espectadores um breviário sobre a vida do ex-deputado. 

Em vídeo o o advogado criminalista Antônio Cláudio Mariz de Oliveira fez uma saudação a José Mentor. 

“Quero deixar aqui a minha declaração, o meu testemunho, no sentido de que José Mentor tratou-se de uma das figuras mais exponenciais da minha geração começando a lutar pela coisa pública…Acompanhei a sua ousadia de enfrentar grandes obstáculos numa época de obscurantismo no Brasil”.  

A viúva e conselheira do SASP da OAB/SP esteve presente durante o tributo e se emocionou com a ocasião. 

O advogado e diretor do SASP que também foi responsável pela organização do evento, Marcos Seixas, encerrou a programação cantando e tocando violão para homenagear o instante. 

A solenidade está disponível no canal TV SASP no Youtube e pode ser assistida na íntegra. 

Acesse: