Vitória da união de milhares de brasileiras e brasileiros que lutaram para garantir os direitos trabalhistas.  

Por Marina Azambuja

A Medida Provisória 1045/2021  que prevê a redução da jornada de trabalho e dos salários, além de permitir a suspensão de contratos de trabalho foi rejeitada no senado federal na última quarta, 01. 

Em agosto o Sindicato das Advogadas e Advogados do Estado de São Paulo juntamente com outras entidades jurídicas, movimentos sociais, sindicatos e trabalhadores, assinou uma nota contra a reforma emergencial por não ser capaz de solucionar as mazelas sociais, não gerar empregos dignos e nem capacitar os profissionais. 

A Medida Provisória 1045/2021 é o reflexo de um governo que não ampara a sua população e retira aos poucos os direitos dos trabalhadoras e trabalhadores brasileiros, privilegiando apenas o patronato e, em especial, o capital financeiro.