Um homem, uma história. Um bravo combatente.

Um homem, uma história. Um bravo combatente.
Na madrugada de 24 de março de 2021, faleceu o ex-deputado federal, Haroldo Lima, após uma longa batalha contra o COVID-19.
Nascido na cidade de Caetité, na Bahia, em 1939, aos 18 anos, Haroldo já era estudante na Universidade Federal da Bahia, no curso de engenharia elétrica, e milita ativamente no movimento estudantil, na União Estadual dos Estudantes da Bahia e na União Nacional dos Estudantes. Foi membro da Juventude Universitária Católica.


Juntamente com Aldo Arantes, Herbert de Souza – o Betinho – entre outros, funda a Ação Popular, tendo coordenado a Comissão Nacional Camponesa da AP, que já defendia a guerra popular de guerrilha para derrubar a ditadura militar.


No início dos anos 70, participou ativamente, para que a Ação Popular se incorporasse ao Partido Comunista do Brasil – PCdoB, o que ocorreu, e já em 1972, inicia-se a preparação da lendária Guerrilha do Araguaia, a maior resistência armada à ditadura militar já organizada.
Em 15 de dezembro de 1976, quando ocorria uma reunião do Comitê Central do PCdoB em uma casa no bairro da Lapa, em SP, a polícia invade o local, mata os dirigentes Pedro Pomar, Ângelo Arroyo e João Batista Drummond, além de prender o próprio Haroldo Lima, entre outros dirigentes. Esse evento entrou para a história como o “Massacre da Lapa”.


Haroldo foi barbaramente torturado nas dependências do DOI-CODI em SP. Ficou na prisão até a anistia de agosto de 1979, quando volta para Salvador, Bahia. Ele seria novamente preso em 1981 quando dirigia lutas populares na capital baiana.
Elegeu-se pela primeira vez deputado federal pela Bahia em 1982, sendo o mais votado na cidade de Salvador, e honrou a Câmara dos Deputados por cinco mandatos de deputado federal, por 20 anos.


Em 2005 foi Diretor geral da Agência Nacional do Petróleo, onde permanece até 2011, época em que fez anúncio da maior descoberta de petróleo na história do Brasil, que foi o pré-sal em 2008.
Haroldo era um grande brasileiro, e um grande patriota. Uma perda inestimável ao Brasil.
O Sindicato dos Advogados de São Paulo lamenta perda inestimável desse grande brasileiro, e presta sua solidariedade aos familiares, amigos e companheiros.

Sindicato das Advogadas e Advogados do Estado de São Paulo