O SASP – Sindicato das Advogadas e Advogados de SP, vem a público manifestar seu total repúdio às últimas manifestações de cunho golpista e autoritário por parte de policiais militares, no exercício de suas atribuições, sobretudo em funções de comando, notadamente insuflados pelo atual Presidente da República.

Não é de hoje, que o atual Presidente da República vem cometendo ações e insuflando atitudes autoritárias e golpistas, além de perpetrar péssimos exemplos de conduta, como, por exemplo, a forte pressão exercida sobre o Exército Brasileiro, que, em razão da referida pressão, deixou de punir o general da ativa, Eduardo Pazuello, por participar de ato político, junto com o próprio mandatário da República.

Não há dúvidas de que a impunidade ao General Eduardo Pazuello, configura um dos fatores hábeis a fomentar as manifestações de cunho golpista e autoritário dos policiais, que, diga-se de passagem, são proibidos de exercer manifestações políticas no exercício de suas atribuições.

Dentro dos limites democráticos, e de forma célere e efetiva, é preciso rigor para barrar os delírios golpistas de Bolsonaro e seus seguidores.

As Polícias têm função social, são instituições de Estado, e estão submetidas aos deveres constitucionais e estrutura democrática do país.

O Sindicato das Advogadas e Advogados, na condição de instituição defensora da democracia e do estado democrático de direito, espera que todas as autoridades públicas que estejam à frente do comando das Polícias, ajam, ou permaneçam agindo com o rigor devido, contra manifestações de caráter golpista e autoritário.

Sindicato das Advogadas e Advogados do Estado de São Paulo