Adeus
Sindicato dos Advogados de São Paulo perdeu no dia 07/07/2008, o valoroso companheiro e lutador
João José Sady

***********

Veja as mensagens de amigos e companheiros

"Apesar de não o ter conhecido pessoalmente, tinha muita admiração por ele.
Nota triste mesmo…. Pêsames à família… "
Felipe Corona Menegassi
Advocacia Menegassi
Pato Branco – PR

******

A nota triste do ano!
"Nosso amigo e companheiro João José Sady nos deixou."
Rubão

******

"Em nome dos advogados trabalhistas do Pará, manifesto pesar pelo falecimento do nosso colega João José Sady. Que a família encontre conforto espiritual nesse momento difícil."
Bernardino Lobato Greco

******

Tristeza imensa. Palavras faltam!
Nelson Pompeu

******

"Eu, que tive a felicidade de conhecê-lo pessoalmente, e toda a advocacia trabalhista potiguar, nos solidarizamos com a família do saudoso João José Sady. Perda irreparável. "
José Augusto de Oliveira Amorim

******

"É uma grande perda. Sady, incansável defensor dos direitos humanos, mesmo doente, era um dos que mais interagia na Rede Abrat. Eu, pelo menos, aprendi muito com ele. Não é só a advocacia trabalhista que perde com o seu desaparecimento físico, perde toda a advocacia brasileira, perdem os homens de bem.
Com tristeza, associo-me à dor da família e dos amigos."
Olímpio Paulo

******

"Meus sentimentos aos familiares do Sady."
Dagmar Rodrigues

******

"Puxa que notícia lamentável. O que dizer do companheiro João José Sady? Um advogado e ser humano brilhante, comprometido com as lutas por uma sociedade mais justa, humana e fraterna, grande batalhador, fará muiiiiita falta. Minhas condolências à sua familia e a todos os que o admiravam como eu."
Eliseu Nuñez

******

"Que notícia triste acabo de receber….
Que a família tenha muita fé para ampará-la neste momento de dor."
Eliana Saad

******

"Infelizmente perdemos um grande advogado e grande um companheiro de luta. Tive o prazer e a felicidade de trabalhar com ele na Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP. Os meus sentimentos e de todos os membros do Instituto do Negro Padre Batista aos familiares do Dr. Sady."
Sinvaldo Firmo

******

"A tristeza é grande. Lembro-me do Sady como um grande professor! Ele fará falta!"
Mariana Mei de Souza

******

"É com imenso pesar que recebo essa notícia, diante da perda muito significativa, desse nosso incansável colega na luta pela nossa profissão. Solicito o encaminhamento das minhas condolências à família, nessa hora tão difícil.
abraços"
Vera Fontes

******

Sady
Um advogado. Notável advogado.
Um parceiro. Excelente parceiro.
Um amigo. Ótimo amigão.
Um tribuno. Houvessem tribunas livres nesse País e elas seriam poucas para João José Sady.

Petição firme. Palavra cortante. Veemência.
Contundência na formulação e exposição das teses.
Certeiro. Sem tergiversar.
Orgulho-me de ser correspondente em Brasília de vários processos do Sady. Orgulho-me de ter participado de debates com ele. Porque ele orgulha o direito, a advocacia, as liberdades democráticas.
Como diz Eduardo Galeano, "a morte não está nos mortos".
Bravo, Sady!
Sempre invocarei seu nome.
Siga com um abraço e um beijo do seu amigo
Nilton Correia

****

A comunidade jurídica e a sociedade brasileira perdem um dos seus mais competentes e coerentes pensadores humanistas. João José Sady era corajoso e implacável na exposição de suas idéias. Um jurista inteligente que transitava em várias áreas do Direito. Um democrata socialista coerente (o que é uma raridade!). Um orador persuasivo e acima de tudo um homem sensível a dor do excluído. O céu está em festa com a chegada de seu ilustre filho. A nós cabe a lembrança de suas falas, opiniões, atitudes e reflexões. Valeu Sady, que Deus esteja te recebendo de braços abertos.
Dallegrave.

****

Admirava, e continuarei admirando, o Sady, por conta de sua elevada condição humana. Sua presença, suas idéias e sua força de expressão farão falta, mas continuarão entre nós e ecoando por intermédio de seus seguidores, dentre os quais me incluo.
Valeu Sady!
Jorge Luiz Souto Maior

******

"Estimados/as companheiros,

"Faleceu na noite de onte – segunda-feira o companheiro João José Sady (mais conhecido como Sady).
Sady foi militante do partidão durante os anos de chumbo, lutou pela redemocratização, atuou centralmente no apoio as lutas populares, movimentos e organizações combativas usando o direito como instrumento. Foi coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP (gestão 2001-2003), foi presidente por duas gestões do Sindicato dos Advogados de São Paulo (SASP) e professor da Universidade São Francisco. Doutor em Direito das Relações Sociais pela PUC/SP e professor no curso de Direito da Universidade de São Francisco, em São Paulo.
Autor de inúmeros textos sobre os direitos humanos e do trabalho, sempre militou em defesa da classe trabalhadora, inclusive como advogado se orgulhava em dizer que nunca defendeu os patrões.
Nos últimos anos atuou também na Renap – Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares, que atua na defesa dos movimentos sociais e da classe trabalhadora em luta.
Faleceu as 10:30 de ontem em decorrência de complicações de um câncer descoberto a pouco mais de um ano.
Esta sendo velado no Cemitério da 4ª Parada, na Zona Leste (próximo da Av Salim Farah Maluf) e será enterrado nessa tarde no cemitério do Araça.
Que a história desse companheiro, de coerência, luta e muita dedicação sirva de exemplo para as futuras gerações e em especial os militantes do direito.
Sady, sua luta não foi em vão. Saberemos continuá-la sempre mais e mais. Até a vitória."
Ronaldo Pagotto

******

"Sady foi advogado. Mas não foi apenas nosso colega advogado.
Foi um professor. E não foi tão só advogado e professor.
Foi um ativista social. Não foi, contudo, apenas um advogado, professor e ativista social.
Foi um idealista. E somente advogado, professor, ativista social e idealista também não foi.
Foi um líder. Foi mais que advogado, professor, ativista social, idealista e líder.
Não lhe bastam tais qualificativos.
Foi amigo. Foi leal. Foi decente.
Foi reto. Traçou suas linhas da vida sem precisar de régua ou esquadro. A retidão lhe era natural.
Estivemos juntos em várias lutas. Várias frentes. Várias viagens…
Era irônico, polêmico, divertido. Tinha uma risada marcante.
Jamais foi “bonzinho”. Corajoso ele era.
Ouvi-lo era enriquecedor.
É o tipo de pessoa que não passa despercebida. Ame-a ou a odeie, suscita em todos sentimentos assim.
Enfrentou todos os adversários e adversidades. Enfrentou até o invencível. Marcou gols contra o câncer.
Mas este último adversário é duro demais…
E ele não perdeu, não… Foi expulso do jogo.
A sensação que tive foi a do jogador que viu a expulsão do meia-esquerda do time em que joga.
Olho para o banco de reservas. Não há suplentes. Busco o técnico. Não há técnico.
Teremos que jogar com um a menos. E nos desdobrar para seguir jogando.
Queridos, vamos nos multiplicar: sem o Sady, faltam vários de nós no time!"

LUÍS CARLOS MORO
MORO E SCALAMANDRÉ ADVOCACIA

******

Conheci o Sady na década de 90, quando ele ajudou na luta dos trabalhadores da Rhodia de Cubatão, da qual ainda sou funcionário. Por ocasião da campanha da OAB de 2003, tive a possibilidade de conviver com o companheiro mais de perto, momento em que também comecei a atuar no Sindicato dos Advs. Quem teve oportunidade de conversar com ele sabe que se tratava de uma pessoa especial e deixa um legado de luta em prol dos trabalhadores. Sei que atuou como advogado de várias categorias de trabalhadores no momento mais combativo da luta de classes. Atuou com destaque na Comissão de Direitos Humanos como em nenhuma outra gestão da OAB. Foi responsável juntamente com outros companheiros lutadores pela retomada do SASP pela advocacia mais progressista, o que acabou por aproximar está entidade da luta travada pelos movimentos sociais…Pesares à família e aos companheir@s que eram mais próximos a ele.
abçs.
Márcio Fernandes da Silva

******

Infelizmente perdemos um grande advogado e grande um companheiro de luta. Tive o prazer e a felicidade de trabalhar com ele na Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP. Os meus sentimentos e de todos os membros do Instituto do Negro Padre Batista aos familiares do Dr. Sady.
Sinvaldo Firmo

Tristeza imensa. Palavras faltam!
Nelson Pompeu

*******

"Duro golpe para todos os seus amigos; para os que militavam ao seu lado na advocacia, no Sindicato, na vida política. Sady foi uma dessas pessoas que dão alegria à vida, à luta, por seu despreendimento, por sua força, por sua agilidade intelectual.
Parte do nosso meio, ainda jovem, quando tinha tanto, ainda, para realizar. Tive a honra de ser seu companheiro e comandado. na Secretaria de Direitos Humanos na Ordem dos Advogados de São Paulo, e que grande Diretor ele foi.
A notícia me pegou de surpresa aquí, em Recife, onde ora me encontro. Sinto não estar presente em sua derradeira caminhada para o fraterno adeus. Deixa-nos um legado de conhecimento, de exemplo e de dignidade.
À família, apresento os pêsames, certo de que podem se orgulhar de quem viveu e acreditou na vida a ela se dedicando com sua capacidade, abnegação e esperança."

Recife, 09 de julho de 2008
Alcindo